Além de conquistar a culinária com seu sabor marcante, as pimentas passaram a ocupar espaços de destaque também na decoração de casa. Elas enfeitam e fazem bonito em canteiros, vasos ou jardins. Originárias das Américas, as pimentas do gênero Capsicum apresentam diversas cores – amarelo, laranja, roxo e verde – e são facilmente encontradas nas lojas especializadas e redes de varejo. No Brasil, as mais conhecidas são: malagueta, cumari, dedo-de-moça,  cambuci e a biquinho. E todas essas variedades podem ser plantadas em casa, em jardins ou vasos, desde que sejam seguidas recomendações básicas de plantio e cuidados.

Confira abaixo como colocar esse tempero especial em casa:

Como plantar

As mudas de pimentas podem ser compradas em viveiros de produção de mudas de hortaliças ou em supermercados e floriculturas. O cultivo é simples e semelhante para todas as variedades – isso vale também para os pimentões. O solo deve ser fértil, leve e bem drenado. É importante garantir o mínimo de seis horas de insolação diária, direta ou não.

A rega é outro ponto fundamental, pois a falta de água pode reduzir a produtividade. De maneira geral, três vezes por semana é suficiente. Mas preste atenção na quantidade, pois o excesso também causa danos. Água demais pode facilitar a proliferação de fungos e doenças.

Vaso certo

O próximo passo, não menos importante, é definir o local. Para quem não dispõe de muito espaço, os vasos são ideais. Se forem muito pequenos, elas devem ser plantadas individualmente. Já em vasos maiores é possível criar combinações com espécies variadas. Mescle diferentes cores e formas dos frutos. O resultado é muito bom e agradável, seja qual for a combinação.

Se o cultivo for realizado diretamente no solo ou em canteiros espaçosos, deve-se observar a distância entre as plantas. É preciso respeitar o espaço mínimo entre cada planta para que todas cresçam saudáveis.

Zelo com a pimenteira

Rega: sempre que a superfície da terra estiver seca, é hora de regar, sendo que os melhores horários são no início da manhã e no final da tarde, em quantidade suficiente para que se inicie um gotejamento na parte inferior do vaso. 

Poda: o ideal é aparar os ramos da pimenteira após a frutificação e colheita para estimulá-la a brotar e produzir novamente. Caso queira reduzir o desenvolvimento exagerado das plantas, elimine as brotações laterais da planta, abaixo da primeira bifurcação. 

Amparo à pimenteira: Em plantas com grande carga de frutos é importante amarrar a pimenteira a uma estaca de bambu fina fincada no solo, a fim de conduzir o crescimento vertical da planta. 

 
Fonte da imagem: www.gohplg.com
Fontes: www.estilo.uol.com.br e www.casa.umcomo.com.br